28

|03:14|

tudo desaparece do meio da minha caverna de pensamentos
tão cinzentos que até prendem o ar
deixando a dúvida se é falta de ar
ou vontade de chorar
porque tudo mudou
mudou em mim
e mudou lá

inconstância sempre foi meu nome do meio
o prazer de acordar e não saber muito bem onde foi parar
mas sempre se lembrar
o que te trouxe lá

dessa vez a paisagem é outra
não tem ninguém pra me sustentar
mas os outros continuam lá
mesmo que eu só esteja a olhar

mudar é uma ironia da vida
eu mudei e você ficou
e mudou também

já não sei mais no que me apoiar
porque a mesa brilhante de vidro
se quebrou em 100
mas continua lá
e essa é a maior ironia
não preciso nem falar

28 dias e quem toma conta é o medo
de voltar e você não se lembrar
daquele último sussurro
de que nada iria mudar

de eu não me lembrar
o que é a ternura
e não reconhecer
nenhuma doçura no seu olhar

mas serei pra sempre uma criança
que carrega ingenuidade no pensar
que mesmo a bala ardida
cede e fica doce
depois de provar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s